Musicas e Notícias

Das 14:00:00 às 16:00:00
Com: Galvão Andreatta

CHUVAS: DEFESA CIVIL DE ITATIBA MONITORA O RIBEIRÃO JACARÉ

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) passa por um verão chuvoso desde dezembro do ano passado. Diversas cidades têm enfrentado problemas com temporais, monitorando pontos de alagamento e deslizamentos.

Desde quarta-feira (8), os municípios de Campinas, Hortolândia, Louveira, Valinhos e Vinhedo entraram em estado de atenção. Monte Mor teve ruas alagadas devido ao extravasamento do Rio Capivari. Outras cidades como Jarinu, Socorro, Itupeva e Tuiuti também enfrentaram problemas. Ao portal de notícias G1, Sidnei Furtado, coordenador regional da Defesa Civil, explicou que “choveu a média para 15 dias. O problema é que foram duas horas sem parar, isso é que foi o fator mais grave, mais preocupante”.

Itatiba não está em estado de atenção, mas mantêm seu Sistema Municipal de Defesa Civil em alerta, uma vez que os índices pluviométricos têm se mantido altos. Entre os dias 06 e 10 de janeiro, choveu o acumulado de 62.1mm, sem nenhum prejuízo registrado.

“Pedimos que a população sempre siga as orientações da Defesa Civil, Guarda Municipal e Departamento de Trânsito caso se depare com algum ponto de alagamento, evitando atravessá-lo, de carro ou a pé. Os alagamentos ocorrem quando a água ‘volta’ das bocas de lobo e tendem a ser temporários. Não registramos extravasamentos do Ribeirão Jacaré ou do Rio Atibaia recentemente, mas o monitoramento continua”, explicou Leila Cavallaro, coordenadora da Defesa Civil de Itatiba.

A previsão da Defesa Civil Estadual é de até 75 milímetros de chuva nos próximos dias.

OBRAS E MONITORAMENTO

Desde 2017, a Prefeitura de Itatiba tem realizado obras e ações para evitar ou mitigar os efeitos de chuvas fortes na cidade. Foram investidos cerca de R$ 120 mil no monitoramento em tempo real do Ribeirão Jacaré, por meio de cinco sondas de nível, instaladas em pontos estratégicos.

Entre as obras de maior porte já realizadas estão a ampliação das galerias de água na Praça Florindo Cogni (Rosita), que evita que as águas da chuva, que descem principalmente do Alto de Fátima e Bela Vista, invadam a Av. 29 de abril. Próximo dali, a vazão do Ribeirão Jacaré foi duplicada no trecho próximo a ponte do Mercadão. Houve, ainda, o alargamento do canal no trecho das pontes da Av. Independência e Ponte Claudemir Tompson, próximo a Universidade São Francisco.

Entre as ações de rotina realizadas ao longo do ano, está a vistoria e limpeza de 3.700 bocas de lobo e 800 caixas de visita.

Em paralelo, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros orientam, em grupos no WhatsApp, comerciantes e moradores de áreas mapeadas para receberem dados e informações sempre que necessário.


Informação e foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Itatiba