Corpo de professora morta por ex-aluno durante assalto é velado em Itatiba

O corpo da professora Ana Maria Jericó Moraes, de 55 anos, morta por um homem e dois adolescentes, entre eles um ex-aluno, durante um roubo, foi velado na manhã de quarta-feira (4) no Cemitério Municipal de Itatiba (SP). O sepultamento ocorreu por volta das 10h30.

O homem, com cerca de 32 anos, e os dois adolescentes, de 16 e 18 anos, foram detidos após confessarem participação no assalto.

A professora, que foi vista pela última vez na noite de segunda-feira (2), após assistir a uma palestra, foi encontrada já sem vida na terça-feira (3), às margens de uma represa em Nazaré Paulista. Ela teria desaparecido no trajeto entre a casa dela e a do irmão.

Segundo depoimento dos criminosos, a mulher teria sido jogada de uma ponte na represa de Nazaré Paulista, com as mãos amarradas.

A perícia atestou que ela, provavelmente, tenha conseguido se soltar, mas acabou morrendo de hemorragia interna - como consta no laudo.

Carro encomendado

Após localizarem o corpo da professora, a Polícia Militar localizou o carro abandonado próximo ao Jardim Fepasa, em Jundiaí, vazio e sem placas. Os policiais abordaram um suspeito que estava próximo do veículo e ele apontou a localização do homem que teria cometido o assassinato.

Ele alegou à PM que não tinha participado do crime, mas tinha "encomendado" o veículo pelo valor de R$ 3 mil e, assim, apontou a localização dos possíveis responsáveis pelo assassinato.

Ainda segundo a polícia, dois menores de idade e um maior foram localizados em uma favela próxima ao Jardim Fepasa, e confessaram participação no crime. O trio teria resolvido tirar a vida da professora após ela ter reconhecido os dois menores de idade.

Suspeitos usaram cartões da vítima

Vídeos cedidos pela polícia mostram os suspeitos com o carro da professora em um posto de combustíveis em Itatiba. Eles usam os cartões de crédito dela para comprar bebidas na conveniência do posto. Segundo a polícia, os cartões da vítima foram usados várias vezes na noite de segunda-feira. O caso está sendo tratado como latrocínio, que é roubo seguido de morte.


Informação: G1- Sorocaba/Jundiaí

Foto: Priscila Mota/TV Tem