É campeã! Chape recebe troféu de campeã da Sul-Americana 2016


Por Assunção, Paraguai

Não é apenas uma taça de campeão. Muito mais que isso, a Chapecoense ganhou a chance de erguer um troféu da força, da solidariedade e do símbolo do futebol que soube se unir diante de uma tragédia. Nesta quarta-feira, o presidente do time catarinense, Plínio David de Nes Filho, recebeu a taça que representa o título da Copa Sul-Americana 2016. A cerimônia ocorreu na sede da Conmebol, no Paraguai, antes do sorteio dos grupos da Libertadores. Muito emocionado, o dirigente fez questão de dividir o momento com o representante do Atlético Nacional, da Colômbia. No fim de novembro, o avião que levava a equipe brasileira para a final do torneio caiu, deixando 71 mortos. 

De pé, os dirigentes dos clubes presentes em Assunção aplaudiram muito quando Plínio David de Nes Filho levantou o troféu. Durante o discurso, o mandatário não escondeu a emoção e chamou ao palco Daniel Jimenez, diretor de Gestão Humana e representante do Atlético Nacional na cerimônia. Na sequência, os dois trocaram um forte abraço. 

- Nesta noite, eu gostaria de agradecer a todos, a todas as nações. Mas me permitam, de uma forma muito especial, uma forma muito carinhosa e agradecida, em nome do nosso clube, a Chape, de dividir o troféu que acabamos de receber com aquele que nos deu essa possibilidade, com seu gesto de humanidade e respeito, de dignidade e demonstração de bondade ao ser humano - disse.

Além da taça, a Chape recebeu homenagens. Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, colocou um laço verde no terno para demonstrar apoio e solidariedade às famílias dos jogadores, jornalistas e membros da comissão técnica e diretoria envolvidos no acidente. 

Outro momento foi a exibição de um vídeo com os melhores momentos da Chape até chegar na final. Os lances mais marcantes da campanha dos jogadores do técnico Caio Júnior em 2016 foram mostrados, comovendo todos os presentes. As vítimas de imprensa que estavam no voo também foram lembradas. 

O gesto de apoio ocorreu três semanas após o trágico acidente com a delegação da equipe catarinense. E não foi o único nesta quarta-feira. Durante a tarde, Juan Damiani, do Peñarol, deu a camisa do seu clube que levava o escudo da Chape para Plínio. Além dele, dirigentes dos peruanos Melgar e Sporting Cristal também tiveram a mesma atitude.


Foto: REUTERS/Jorge Adorno