Hipertensão pode acarretar em ataques cardíacos. Saiba como evitar

Nesta quinta-feira, dia 26 de abril, é lembrado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), anualmente quase 300 mil pessoas morrem em decorrência de doenças cardiovasculares, sendo mais da metade em virtude da pressão alta.

A hipertensão é uma doença que atinge muitos brasileiros, sem nenhuma distinção. Apesar de ter diversas causas, algumas não podem ser evitadas, como a questão de genética, sexo, idade e até mesmo etnia.

O cardiologista José Claudio Carrete e Silva aponta que o ideal é manter-se atento e fazer exames de rotina para saber se há ou não chances de ter o problema ao longo da vida.

“A hipertensão é causa mais importante para os quadros de infarto de miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Sendo uma doença comum entre os adultos, atingindo cerca de 20% da população e por ser uma doença silenciosa, a Hipertensão dificulta muito um diagnóstico”, comentou Carrete.

Os sintomas da doença agem danificando o coração e o sistema arterial, o bombeamento do sangue fica alterado e isso pode causar complicações em vários órgãos do corpo. “A hipertensão é alteração no vaso sanguíneo, fazendo com que o coração trabalhe com mais força para conseguir injetar o sangue na corrente sanguínea. A doença está ligada a obesidade, sedentarismo, fumantes, diabéticos e por herança familiar”, disse Carrete.

TRATAMENTOS

Além dos tratamentos medicamentosos, a principal maneira para controlar a hipertensão é a mudança de estilo de vida. “É recomendado à diminuição do sal nos alimentos, controle do peso, suspensão do tabagismo e alcoolismo, fazer atividade física e consultar regularmente o médico. Caso não haja melhora, é fundamental o uso de medicamentos com acompanhamento médico”, disse o cardiologista.

Fonte: Redação CRN
Crédito: Reprodução Internet