Itatiba melhora 27% em índice de segurança

O Instituto Sou da Paz, um dos mais renomados do país, divulga anualmente um ranking desenvolvido em parceria com o Estadão, para medir a exposição à violência de municípios que possuem mais de 50 mil habitantes. De acordo com esse estudo, em 2017, Itatiba reduziu sua exposição a crimes violentos.

Quanto menor a pontuação, menor o Índice de Exposição a Crimes Violentos (IECV) e, consequentemente, maior a segurança. No ano de 2017, período mais recente analisado, Itatiba aparece na 24ª colocação, com 14,0. Já em 2016, esse índice chegava a 19,2 (57º lugar), não muito diferente do índice de 2015, que apontou 19,6 (60ª posição).

“A violência é um problema complexo, de escala nacional, e seu combate, mesmo sendo uma competência do Estado, acaba gerando também ações por parte dos municípios, que não podem ficar inertes. Nossa Guarda Municipal trabalha em conjunto com as Polícias Militar e Civil, e o resultado desse estudo mostra que pouco a pouco estamos avançando”, comenta o prefeito Douglas Augusto Pinheiro de Oliveira.

O índice foi calculado para 138 municípios do estado de São Paulo e considera crimes letais, sexuais e contra o patrimônio. Na metodologia, consideram-se pesos diferentes para tipos de crime diferentes e cruza-se números absolutos da Secretaria de Segurança Pública com o número de habitantes de cada município. 

“É importante analisarmos os resultados desses estudos para constantemente avaliarmos nossas ações, manter o que está dando certo e corrigir aspectos para que os resultados sejam ainda melhores. Continuamos o trabalho de inteligência através do monitoramento e rondas ostensivas”, comentou o secretário de Segurança e Defesa do Cidadão, João Maioli. “Sempre que a população precisar, pode recorrer ao 153, telefone da GM”, concluiu.

INSTITUTO SOU DA PAZ

O Instituto Sou da Paz nasceu em 1999, a partir de uma campanha de mesmo nome lançada em 1997, tendo como missão Contribuir para a efetivação de políticas públicas de segurança e prevenção da violência.

Os primeiros projetos voltaram-se às regiões e públicos mais afetados pelos homicídios: os jovens moradores dos distritos do Jardim Ângela, Jardim São Luis e Capão Redondo, zona sul da capital paulista. Iniciativas de valorização da convivência e participação e formação de empreendedores impactaram nas histórias de vida de diversos grupos.

Fonte: Assessoria de imprensa da Prefeitura de Itatiba

Crédito: Renato Junior