Vice-presidente de futebol do Flamengo é preso pela Lava Jato

O vice-presidente de futebol do Flamengo, Flávio Godinho, foi preso na manhã desta quinta-feira durante a Operação Eficiência, segunda fase da Calicute, um desdobramento na Lava Jato.

Ex-braço direito do empresário Eike Batista, Godinho foi acusado de envolvimento com lavagem de dinheiro e ocultação no exterior de cerca de 100 milhões de dólares (aproximadamente 317 milhões de reais). Eike também tem mandado de prisão expedido, mas está foragido.

As investigações da Calicute miram o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, já preso na penitenciária de Bangu. Godinho é acusado de ser um dos operadores do esquema de lavagem e ocultação das propinas recolhidas das empreiteiras que realizavam obras no estado governado por Cabral.

Na operação, a Polícia Federal emitiu nove mandados de prisão, quatro de condução coercitiva e 22 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro. Enquanto o vice do Flamengo já foi preso, Batista foi considerado “foragido da justiça”, já que não foi encontrado em seu apartamento.

Seu advogado afirmou que o empresário está no exterior. A diretoria do Flamengo ainda não se pronunciou sobre a prisão de seu vice-presidente.

Com Gazeta Press

Crédito da foto: Vicente Seda / Globoesporte.com/Dedoc