Itália vive isolamento em meio a quarentena por coronavírus

A Itália estendeu para todo o país as medidas restritivas que haviam sido impostas à região da Lombardia e a 14 províncias do Vêneto, do Piemonte e de Marcas. Desde terça-feira (10), os cidadãos só estão autorizados a se locomover por ‘comprovadas exigências de trabalho, situações de necessidade, motivos de saúde ou retorno ao próprio domicílio’. O Vaticano anunciou o fechamento da Praça e da Basílica São Pedro para visitação. As autoridades de Roma bloquearam o acesso à Fontana di Trevi, um dos monumentos mais famosos da capital.

11/03/2020 as 10:10
A Itália estendeu para todo o país as medidas restritivas que haviam sido impostas à região da Lombardia e a 14 províncias do Vêneto, do Piemonte e de Marcas. Desde terça-feira (10), os cidadãos só estão autorizados a se locomover por ‘comprovadas exigências de trabalho, situações de necessidade, motivos de saúde ou retorno ao próprio domicílio’. O Vaticano anunciou o fechamento da Praça e da Basílica São Pedro para visitação. As autoridades de Roma bloquearam o acesso à Fontana di Trevi, um dos monumentos mais famosos da capital.

Também é permitido sair para comprar alimentos e itens de primeira necessidade. O governo disponibilizou até um formulário para cidadãos que precisam se locomover nas ruas justificarem as razões. A polícia já está fazendo controles em estações de trem, estradas e aeroportos.

Partidas de futebol também estão proibidas, com exceção de jogos da Liga dos Campeões, que serão realizados com portões fechados; e museus, discotecas, sítios arqueológicos, escolas e universidades foram fechados.

Restaurantes podem abrir das 6h às 18h, desde que garantam distância mínima de um metro entre os frequentadores. As medidas ficam em vigor ao menos até 3 de abril. A Itália contabiliza pouco mais de 10 mil casos do novo coronavírus e mais de 600 mortes, segundo a agência de notícias Ansa.


Fonte: MSM - Notícias